"Série Especial Fim de Ano" Viva o Natal todo dia!

Oi minha gente, tudo bem com vocês?


Chegou o Natal. Com certeza hoje  no dia 24 ou no dia 25 você participará de algum evento – um culto, um jantar, um almoço, um passeio, uma peça ou concerto. Alguma coisa que lhe fará lembrar o motivo do Natal e celebrar algum tempo em família – seja  com a de sangue, sua família em Cristo ou com os amigos ‘mais chegados que irmãos’ que você tem. Mas e o restante do ano? Quanto tempo você dedica para pensar e viver o Natal?
Caso tenha dúvidas sobre o que o Natal significa, vamos relembrar um pouco sua história: Um anjo apareceu a Maria, e, depois a José, para lhes informar que um bebê lhes nasceria de forma sobrenatural. O Filho de Deus, pelo agir do Espírito Santo, viria ao mundo para cumprir as promessas feitas pelo próprio Deus no Antigo Testamento. Ele enviou, então, o Cordeiro perfeito, Aquele que salvará o povo dos seus pecados.
O anjo, aproximando-se dela, disse: “Alegre-se, agraciada! O Senhor está com você!” Maria ficou perturbada com essas palavras, pensando  que poderia significar esta saudação. Mas o anjo lhe disse: “Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus! Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus.” Lucas 1.28-31
Por ser José, seu marido, um homem justo, e não querendo expô-la à desonra pública, pretendia anular o casamento secretamente. Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. Mateus 1.19-21
Logo em seguida, Maria e José foram a Belém para o recenseamento da população. Chegando lá, Maria deu à luz. Um anjo, então, apareceu a um grupo de pastores anunciando o nascimento de Jesus.
E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor. Lucas 2:9-11
Alguns anos depois, sábios do Oriente seguiram a estrela e chegaram a Belém. Neste momento, o rei Herodes foi alertado a respeito da existência de um rei-bebê e decidiu se livrar da concorrência, assassinando os nenês de até dois anos. No entanto, um Anjo do Senhor já havia dito a José que fugisse e, ele  foi para o Egito com Maria e Jesus. Ao voltar, a família se moveu para Nazaré, onde Jesus foi criado, até que cresceu e, bem, salvou o mundo (Lucas 2).
Algo que me chamou atenção nestas aparições dos anjos é uma expressão que se repete. “Não temas. Não temas. Não temas”. Por que cada vez que o anjo do Senhor aparecia para falar com algum deles, suas primeiras palavras eram “Não tenham medo”?
Se você está acostumada com as leituras do Antigo Testamento, já percebeu que as intervenções do Senhor estavam comumente associadas a punição. Até a chegada de Jesus, a presença de Deus significava julgamento (veja Isaías 7 e 8, por exemplo). Por isso, quando um mensageiro de Deus aparecia, as pessoas tinham medo. Como diria Russ Ramsey (1),
O vão entre Deus e o homem era tão grande, que qualquer informação que um anjo mensageiro fosse despachado para entregar, era mais provável que fosse uma má notícia, ao invés de uma boa notícia. Eles estavam com medo porque sabiam que tinham razão para isso.
No entanto, quando Mateus contou do nascimento de Jesus, ele acrescentou um trecho de Isaías 7.14: “Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta: “A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe chamarão Emanuel” que significa “Deus conosco”. (Mt 1.22,23)
Deus finalmente veio ao mundo, não mais para julgá-lo, mas para redimi-lo, e é isso que o anjo diz a José em Mateus 1.21: “porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”. A vinda de Jesus ao mundo agora, Deus conosco, não mais carregará o peso do julgamento dEle, mas traz promessa de salvação de seu povo.
Por isso, o significado do Natal é que Deus está conosco permanentemente, porque todos aqueles que se entregam em fé a Jesus têm seus pecados perdoados e desfrutam de um relacionamento com o Senhor. O que antes não era possível, agora o é por meio de Jesus Cristo – somos tornados justos e escapamos do julgamento divino.
Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Romanos 8:1-4
Como podemos refletir o significado do Natal diariamente em nossa vida? Como podemos “andar segundo o Espírito”, de acordo com Paulo? Talvez Jonathan Edwards estivesse pensando sobre isso quando escreveu algumas de suas resoluções. Eis aqui algumas que selecionei para nos ajudar a seguir o conselho bíblico de desenvolver nosso relacionamento com Deus, exemplificado na vida de Jesus e conquistado por Ele na cruz, ao longo de nossa vida:
RESOLVI esforçar-me ao máximo para que a cada semana eu cresça na vida espiritual e no exercício da graça, além do nível em que estava na semana anterior. (Filipenses 2.12)
RESOLVI estudar as Escrituras tão firme, constante e freqüentemente, que possa perceber com clareza que estou crescendo continuamente no conhecimento da Palavra. (2 Timóteo 3:15-17)
RESOLVI dedicar-me vigorosamente por toda a minha vida a declarar meus caminhos ao Senhor, com a maior franqueza possível, e derramar minha alma perante Ele: todos os meus pecados, tentações, dificuldades, tristezas, medos, esperanças, desejos, cada coisa e cada circunstância (tal como o Dr. Manton diz em seu sermão n.27, baseado no Salmo 119.(2)) (Filipenses 4.6)
RESOLVI nunca contar uma oração, nem deixar passar como oração ou como petição, algo que eu não tenha esperança que Deus responda; nem confissão que eu não espere que Ele aceite.
RESOLVI jamais relaxar ou desistir, de qualquer maneira, na minha luta contra as minhas próprias fraquezas e corrupções, mesmo quando eu não veja sucesso nas minhas tentativas.
Se o Natal representa o fim da inimizade entre Deus e o homem, manter o Natal presente ao longo de todo o ano significa desenvolver a amizade com o nosso Criador. Quando investimos no nosso crescimento espiritual, pela leitura da Palavra, derramando nosso coração aos pés do nosso Senhor, lutando por uma vida de santidade, de piedade, nós crescemos em intimidade com Deus, nós nos aproximamos de sua presença. E como diria o próprio Edwards,
Não há palavras para expressar a doçura e humilde exultação que surge de estarmos na presença de Deus.
E assim se faz Natal todo dia.
Feliz Jesus todo dia!